Brasil Green Finance Programme: Myr em finanças verdes

Reino Unido

O Brazil Green Finance Programme (BGFP) faz parte do Programa de Cooperação bilaterial do Reino Unido e Brasil, que apoia o desenvolvimento econômico em países parceiros e, como uma iniciativa que visa apoiar a modernização econômica do Brasil através do aumento da produtividade, tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento econômico sustentável e a redução da pobreza.

As empresas EY, FELSBERG e a MYR se uniram para o desenvolvimento da análise de viabilidade técnica, econômica e ambiental de soluções de otimização logística e engenharia, acompanhados de modelo econômico-financeiro, para a Gestão de Resíduos Sólidos de Minas Gerais. O trabalho contemplou dezenas de municípios que fazem parte do Consórcio Intermunicipal Multissetorial do Vale do Piranga – CIMVALPI.

Os serviços realizados integraram a análise jurídica, estudos de engenharia e modelagem econômico-financeira, a saber:

1) Diagnóstico, que inclui o levantamento de informações técnicas, operacionais, financeiras, ambientais e jurídicas;

2) Relatório com os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), com nível de detalhamento de projeto referencial, contendo análise de viabilidade técnica e econômica de eventual concessão, a partir das análises do projeto preliminar sob os aspectos técnicos de engenharia, socioambiental e econômico-financeiro.

Vale ressaltar que o trabalho foi elaborado e construído por três empresas, onde a análise jurídica foi desenvolvida pela Felsberg Advogados, os estudos de engenharia pela MYR Projetos Sustentáveis e a modelagem econômico-financeira pela EY.

BDMG firma parceria com consórcio de 31 municípios para estruturação de projeto de resíduos sólidos

A expectativa é beneficiar mais de 416 mil pessoas com a gestão adequada dos resíduos sólidos em cidades mineiras do Vale do Piranga

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e o Consórcio Intermunicipal Multissetorial do Vale do Piranga (Cimvalpi) assinaram contrato para a estruturação de um projeto de concessão para a gestão de resíduos sólidos. O objetivo é prestar apoio técnico para a elaboração de modelagem de gestão de resíduos para 31 municípios, localizados no Vale do Piranga, em Minas Gerais, e que fazem parte do Cimvalpi.

A atuação do BDMG neste projeto resulta da priorização de ações focadas no saneamento básico de Minas Gerais, especialmente após celebração de parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) em 2020, com a finalidade de contribuir para a universalização do serviço e, consequentemente, o desenvolvimento socioeconômico regional, por meio da estruturação de projetos.

Para desenvolvimento do trabalho com o Cimvalpi, o BDMG conta com a cooperação do programa UK Pact “Parceria para Transições Aceleradas do Clima”, um fundo de financiamento do Governo de Reino Unido. Firmada em 2021, a parceria entre o Banco e o UK Pact neste projeto visa fomentar a participação do setor privado em projetos de infraestrutura sustentável em Minas Gerais.

“O BDMG busca potencializar a sua atuação no apoio aos municípios mineiros por meio de iniciativas inovadoras que contribuam para o desenvolvimento regional, garantindo a implantação de projetos de saneamento e resíduos sólidos. Por meio do Cimvalpi, a expectativa é beneficiar mais de 416 mil pessoas com a gestão adequada dos resíduos sólidos no Vale do Piranga. Para isso, contamos com o apoio importantíssimo da Semad e do UK Pact”, destaca o presidente do BDMG, Marcelo Bomfim.

Conforme a secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, “a concessão dos serviços de gestão de resíduos sólidos urbanos por meio de um bloco de municípios, como ocorre nos consórcios públicos, promove ganho de escala e viabiliza a prestação adequada dos serviços mesmo nos municípios de menor porte”.

Para a estruturação da modelagem do projeto de concessão, a equipe do BDMG e de consultores parceiros está realizando o diagnóstico da gestão dos resíduos sólidos em cada uma das prefeituras que fazem parte do consórcio. “Esse trabalho, ainda em elaboração, será fundamental para conhecer as necessidades de cada munícipio e atuar estrategicamente na busca por soluções inovadoras na prestação de serviços públicos”, reforça Bomfim.

Leia também:

Audiência Pública Plano Diretor

O verde das cidades visto do espaço - oeco.com.br - 16/7/12